Mãe e filha

Não seria ótimo se seus filhos fossem aprendizes motivados e independentes? Dessa forma, você não precisaria importuná-los ou repreendê-los para fazer a lição de casa, e a vida seria mais fácil para todos. Os pais costumam me dizer como estão frustrados porque seus filhos não estão interessados na escola. Eles também estão preocupados que essa falta de motivação seja transferida para outras áreas da vida. O problema é que os pais muitas vezes desmotivam seus filhos sem querer. Aqui estão 10 dos erros mais comuns que os pais cometem – faça o possível para evitá-los em sua casa.

Publicidade

Erro nº 1: dê a seus filhos muitas recompensas com base em conquistas ou comportamentos

Essa é uma armadilha na qual muitos pais caem, e por boas razões. A primeira vez que você tenta, parece funcionar. Você pode dizer aos seus filhos que lhes pagará um dólar cada vez que eles receberem mais de 85% para um teste de classe. Isso parece funcionar porque eles começam a estudar mais. Você pensa consigo mesmo: “Ótimo. Problema resolvido!” Algumas semanas depois, você percebe que a motivação deles diminuiu. Eles reclamam que obter uma boa nota merece mais de um dólar. Uma discussão começa e você se encontra justificando o preço. Você até explica que estudar muito é a sua responsabilidade básica como estudante. Se isso descreve sua situação, você não está sozinho. Muitos estudos mostram que recompensas e punições funcionam a curto prazo, mas não a longo prazo. (Continue lendo para descobrir que outras abordagens você pode tentar.)

Erro # 2: Enfatizar excessivamente a importância dos acadêmicos

Academics

Os pais pensam que enfatizar a importância dos acadêmicos motivará seus filhos a trabalharem duro. O problema é que essa abordagem não transforma seus filhos em aprendizes ao longo da vida. Aprender não é apenas tirar boas notas. É também aproveitar o processo. Quando as crianças gostam de aprender, elas se motivam a continuar aprendendo. As notas podem afetar suas perspectivas de emprego, mas muitos grandes líderes não eram bons alunos. Infelizmente, muitos dos alunos com quem trabalhei me dizem que seus pais parecem pensar que as notas são a única coisa que importa. Agora sabemos que existem muitos tipos diferentes de inteligência e que o sistema educacional mede apenas alguns deles. Todos os pais concordariam que habilidades sociais, desenvolvimento de caráter e aprender a relaxar e refletir também são áreas importantes de foco. Quando os pais descartam os hobbies e os jogos de seus filhos como perda de tempo, ferem os sentimentos dos filhos e prejudicam o relacionamento entre pais e filhos. Os pais devem valorizar e respeitar as atividades de seus filhos. Dança e esporte podem melhorar a inteligência cinestésica, e jogos e discussões podem aumentar a inteligência intrapessoal. Essas são habilidades vitais para as crianças aprenderem e carregarem consigo durante a vida.

Erro # 3: Supervisione seus filhos com muita atenção

Microgerenciar seus filhos produz resultados semelhantes aos de microgerenciar funcionários. Ele cria ressentimento, prejudica relacionamentos e rouba as crianças de valiosas experiências de aprendizado. Quando as crianças têm a oportunidade de planejar seu próprio trabalho e assumir a responsabilidade por suas ações, elas se tornam mais maduras e sábias. Eles também desenvolvem independência e habilidades organizacionais que os beneficiarão na escola e além. As crianças que assumem a responsabilidade por suas ações passam a entender que têm controle sobre sua vida. Eles aprendem que têm a capacidade de criar seu próprio sucesso na escola e além. Informe seus filhos que você os ajudará se precisarem de apoio. Mas deixe claro que eles não devem procurar todas as respostas para você. Se eles precisarem de ajuda, forneça estratégias que eles possam usar para encontrar as respostas. Os pais que se consideram facilitadores, em vez de supervisores, promovem a auto-suficiência em seus filhos.

Erro nº 4: falha ao criar uma cultura familiar de aprendizado

Aprendizagem

Você provavelmente já reparou que as crianças copiam o que seus pais fazem, mais do que o que os pais dizem. As crianças são aprendizes observacionais; portanto, a cultura familiar tem uma grande influência na mentalidade de seus filhos. Quando se trata do aprendizado de seus filhos, uma das coisas mais eficazes que você pode fazer é criar uma cultura familiar de aprendizado. Se seus filhos perceberem que você gosta de adquirir novas habilidades e conhecimentos, é mais provável que eles também gostem de aprender. Mostre a seus filhos como é divertido ser um aprendiz ao longo da vida, para que eles vejam o valor da educação além das séries.

Erro nº 5: permita que as lutas pelo poder se desenvolvam

É comum que as lutas pelo poder se desenvolvam em casa. Muitas vezes acontecem durante a lição de casa ou a que horas as crianças acordam para a escola. Se isso estiver acontecendo em sua família, dê um passo atrás e analise a situação. Muitas vezes, a raiz do problema está relacionada ao relacionamento pai-filho. Afinal, você sabe que quanto mais incomoda, menos isso ajudará a situação. A melhor abordagem é focar na reconstrução do relacionamento e no senso de auto-estima do seu filho. Um forte relacionamento pai-filho traz muitas vantagens. De fato, Shawn Anchor, autor de A vantagem da felicidade, descobriu que o cérebro funciona de maneira ideal quando você está se sentindo positivo.

Publicidade

Erro nº 6: defina regras sem antes discuti-las com seus filhos

Conheça as regras

Ninguém gosta de se sentir impotente ou como se tivesse pouco controle sobre suas vidas. Pense em como você se sentiria se lhe dissessem o que vestir, quanta TV você poderia assistir e quando poderia usar seu telefone. É razoável ter regras em casa, mas recomendo que você as discuta primeiro com seus filhos. Os locais de trabalho que introduzem regras rígidas sem consultar seus funcionários geralmente descobrem que começaram a se rebelar. Você pode evitar um motim em casa, abordando o assunto com seus filhos antes de estabelecer a lei. Sempre que possível, faça uma sessão de brainstorming em que você compartilhe suas preocupações com seus filhos. Seus filhos podem até propor diretrizes melhores do que você poderia imaginar, por isso, não deixe de ouvir as opiniões deles. A adoção dessa abordagem significará menos frustração para todos os envolvidos. Além disso, é mais provável que seus filhos cumpram as regras a longo prazo.

Publicidade

Erro # 7: Enfatizar excessivamente a importância da conquista em vez da contribuição

As escolas tendem a enfatizar a importância dos resultados acadêmicos. Esse é um aspecto prático do sistema educacional, mas as notas não são tudo. Boas notas nem sequer são um preditor preciso de sucesso. O melhor indicador de sucesso não são boas notas ou um QI alto, mas inteligência emocional. Os pais devem enfatizar aos filhos que a vida é muito mais do que notas ou realizações. Trata-se de adquirir habilidades e conhecimentos para que eles possam fazer a diferença no mundo. As crianças podem começar a desenvolver essa mentalidade fazendo algo como voluntariado para orientar os alunos mais jovens. Esse tipo de experiência mostrará a eles que seu conhecimento pode ser usado para ajudar outras pessoas. Como resultado, essas crianças começarão a ter um maior senso de propósito. Eles começarão a olhar para além de si mesmos e serão menos inclinados a ficar obcecados por suas realizações.

Erro # 8: Fale como se seus filhos nunca estivessem se esforçando o suficiente

Mãe e filho

Alguns pais sempre dizem aos filhos que devem se concentrar melhor, trabalhar mais, aplicar dicas de estudo mais comprovadas e passar menos tempo online. Esses pais têm boas intenções, mas suas ações fazem com que seus filhos sintam que não há sentido em dar o melhor de si. As crianças podem até sentir que nunca serão boas o suficiente para atender às expectativas de seus pais. As pessoas que acreditam que são incompetentes se tornam incompetentes. Como Henry Ford disse: “Se você acha que pode, ou pensa que não pode – você está certo.” Dizer aos seus filhos que eles não estão se esforçando o suficiente reduz a motivação deles. Qual a alternativa? Tente alguma inspiração e positividade. Lembre-os de quando seus esforços foram recompensados e ajude-os a refletir sobre seu comportamento de maneira não julgadora. É importante promover um forte senso de autoestima em seus filhos, para que eles saibam que têm a capacidade de ter sucesso se se esforçarem.

Erro # 9: deixar de reconhecer o progresso e o bom comportamento de seus filhos

Seus filhos se preocupam com o que você pensa, demonstrando ou não. Quando você reconhecer os esforços e o progresso de seus filhos, eles se sentirão mais motivados. Dizer a eles que você aprecia que eles alimentaram o cachorro sem serem solicitados ou que eles fizeram o próprio almoço na escola os incentiva a repetir o comportamento. Mesmo se eles não alcançaram o que pretendiam, foque no progresso que fizeram. Diga a eles que você vê uma melhoria na caligrafia deles em relação a toda a prática ou que se orgulha deles por enviar a lição de casa a tempo. Evite se concentrar em suas habilidades e inteligência. Em vez disso, enfatize as coisas relacionadas à sua atitude e esforço. Isso levará a uma motivação mais sustentada no caminho.

Erro nº 10: concentre-se no comportamento de seus filhos sem chegar à raiz do problema

Causa raiz

Os pais geralmente se concentram nos maus hábitos ou comportamento de seus filhos sem se aprofundar. Quando as crianças não estão trabalhando duro o suficiente ou estão se comportando mal, geralmente há outros fatores em jogo. As crianças que se sentem desencorajadas, sobrecarregadas ou sem valor geralmente sentem que não merecem ser tratadas com bondade. Eles se esforçam para se comportar mal porque se sentem terríveis consigo mesmos. Este ciclo é como uma forma de auto-mutilação. É como se a criança estivesse dizendo: “Eu não mereço ser amada, então me comportarei mal. Dessa forma, vou conseguir o que mereço. Focar no comportamento não ajuda; a questão subjacente deve ser tratada. Mostre a seus filhos que você está sempre pronto para ouvir. Quando eles finalmente compartilharem suas lutas, você poderá chegar ao cerne da questão e resolver o problema.

Conclusão

Nós pais de nossos filhos enquanto estamos correndo pela porta de manhã ou tentando alimentar todos. Como tal, é fácil cometer os tipos de erros que desmotivam nossos filhos. Em vez de se sentir culpado, tome uma atitude. Revise a lista de erros neste artigo mais uma vez e identifique os que você está cometendo. Reserve alguns minutos para criar um plano de ação. Como você pode começar a motivar seus filhos? Que medidas você pode tomar para inspirá-las a serem as melhores? Como você pode demonstrar os comportamentos que deseja ver em seus filhos? Ao implementar seu plano, você verá melhorias em seu relacionamento pai-filho e também no comportamento de seus filhos. Vai dar trabalho da sua parte, mas valerá a pena! Gostou deste artigo? Por favor, compartilhe com seus amigos.

Publicidade
“Por: Onésimo Piloro”