A ocitocina e seus efeitos na amamentação

A ocitocina e seus efeitos na amamentação
.

A ocitocina, também conhecida como hormônio do amor, atua diretamente na produção e secreção do leite.

Esse hormônio desempenha um papel muito importante no estado emocional, causando uma sensação de relaxamento e felicidade na mãe.

Isso favorece o desenvolvimento de vínculo mãe-filho e o prolongamento da lactação.

Oxitocina é um hormônio com múltiplos efeitos em humanos.

Um dos papéis Fundamental deste hormônio é exercido durante o parto e a lactação.

Esse hormônio Atua como um neurotransmissor cerebral, causando sensações de relaxamento e promovendo relacionamentos sociais positivos (amor, amizade, etc.).

Este efeito é muito favorável para o desenvolvimento do vínculo mãe-filho e aumenta consideravelmente durante a lactação.

Efeitos da ocitocina durante a lactação

1. Oxitocina e a produção e secreção de leite

Quando o bebê começa a sugar o mamilo da mãe, uma cadeia de eventos é iniciada na mãe.

A oxitocina é um neuropeptídeo que é sintetizado nas células nervosas neurossecretoras do núcleo supraóptico e paraventricular do hipotálamo (cérebro) e é armazenado na pituitária.

O sentimento de sucção de bebê No mamilo, ele dispara um estímulo nervoso que viaja pelos nervos espinhais da mãe e chega ao hipotálamo.

A oxitocina é excretada na forma de pulsos. Esses pulsos produzem o descarga intermitente de oxitocina da hipófise ou da glândula pituitária para o sangue.

Oxitocina estimula a produção de prolactina. O hormônio prolactina é produzido no lobo anterior da glândula pituitária e estimula a formação de leite na glândula mamária.

Além disso, a oxitocina que viaja pela corrente sanguínea atinge células musculares circundando as glândulas mamárias. Este efeito faz com que essas células se contraiam e, desta forma, o saída de leite formado nas glândulas mamárias.

A seguinte sucção de bebê ativa as glândulas mamárias novamente e recomeça o ciclo de produção de leite.

Este mecanismo se torna um Reflexo condicionado para a mãe.

Se a mãe vê o filho, ouve chorar ou pensa nele, basta que esse mecanismo seja acionado e a mama comece a endurecer e o leite seja excretado.

2. Oxitocina e aumento da temperatura corporal

Oxitocina dilata os vasos sanguíneos da pele, com produção de calor no seio materno.

O calor e o contato com a mãe também são muito importantes para a sobrevivência.

Eles estão relacionados a proteção física e emocional do bebê.

3. Produção de ocitocina e prolactina

A oxitocina estimula a produção de prolactina.

O hormônio prolactina é necessário para a produção de leite.

Este hormônio é produzido no lobo anterior da hipófise e estimula a formação de leite na glândula mamária.

4. Oxitocina e estimulação da produção de insulina

A oxitocina também estimula a produção de insulina.

Este hormônio insulina ajuda a absorver nutrientes dos alimentos.

A mãe deve absorver certa quantidade de nutrientes para produzir leite materno de alta qualidade nutricional.

5. Oxitocina e estimulação da produção de glucagon

O glucagon (hormônio) estimula a liberação de nutrientes de suas áreas de armazenamento.

A oxitocina estimula o glucagon para que nutrientes suficientes cheguem às glândulas mamárias para que possam fabricar um leite de alta qualidade nutricional.

6. Oxitocina e aumento do apetite

Para alcançar uma reserva adequada de nutrientes, a oxitocina estimula o apetite da mãe, acelera a digestão e facilita o armazenamento de substâncias de reserva.

7. Oxitocina e o efeito relaxante

Oxitocina exerce efeitos emocionais muito benéficos (relaxante e gratificante).

Durante a amamentação, a mãe sente um sensação de relaxamento, felicidade e amor por seu bebê.

conclusão

A ocitocina é um componente essencial da lactação, favorece o seu prolongamento e o aumento do vínculo da mãe com o filho.