Cavalo agressivo: quais são as causas, os sinais e como intervir

A agressão do cavalo é um distúrbio comportamental

A agressão do cavalo decorre de vários fatores. Um cavalo agressivo pode ser assustador, pois morde, chuta, cabeceia, empurra e carrega pessoas ou outros animais. Esse comportamento descontrolado pode ser perigoso.

Agressão do cavalo

Um cavalo pode ficar zangado e agressivo por vários motivos e pode ocorrer tanto em relação a outros cavalos quanto em relação aos humanos.

Dominação, hierarquia, Liderança, medo, submissão passada, maus tratos e trauma. Por exemplo, a nutrição também afeta o comportamento do animal. Uma fonte de alimentação muito rico em componentes de proteína envolve sobrecarga e implementa agressão.
Maus-tratos ou uso de voz alta alimentam o desconforto do animal.

Cavalos agressivos com outros cavalos

A agressão a outros cavalos deriva principalmente de duas situações: competição entre garanhões ou quando as mulheres querem proteger seus potros. O medo também afeta a agressão.

No rebanho, os cavalos se socializam e criam deuses laços de amizade no pasto. A agressão entre cavalos surge a partir de diferentes situações e se manifesta em comportamentos como morder e chutar.

Eu sinais de ameaça eles se manifestam por meio de expressões faciais, como orelhas para trás, incisivos expostos isso com movimento da cauda o con eu patas traseiras que o cavalo levanta.

O cavalo submisso tende a evitar o confronto e se afasta com a cabeça e o rabo para baixo. Além disso, o cavalo submisso bate seus lábios “estalando” como um sinal, como também foi encontrado em potros jovens se aproximando de um cavalo adulto.

  • Agressão de competição:

Luta entre garanhões: Quando dois garanhões lutam, a luta nem sempre é muito agressiva, mas pode ser intensa às vezes e os cavalos podem sofrer feridas e cicatrizes.
Competição por comida: um comportamento que muitas vezes se manifesta entre os cavalos no estado doméstico. Isso também afeta o equilíbrio entre os membros do grupo, nas relações bilaterais e não na hierarquia social.

  • Proteção de potro: uma égua protege seus filhotes. Quando acabam de nascer, tendem a se colocar entre o potro e o intruso, chegando a apresentar um comportamento ameaçador.
  • Hierarquia entre cavalos: distingue-se das relações bilaterais entre dois cavalos, também em termos de simpatia / antipatia. Muitos estudos têm mostrado que não há conflito agressivo em relação à hierarquia.
  • Liderança: a liderança pode ser social ou quando existe o desafio de se tornar responsável pelo grupo. Tanto a fêmea quanto os garanhões podem intervir.
    Outra forma de liderança é territorial ou quando o cavalo pretende dar direção ao grupo.

Para manter o equilíbrio do rebanho, é possível recorrer a alguns métodos como castração, a desensibilizzazione ou o contra-condicionamento.

  • Apresente os cavalos uns aos outros, mantendo-os em dois currais separados, para que não se machuquem batendo com os cascos.
  • A abordagem deve ser gradual e os cavalos devem aprender a se conhecer e aceitar a presença um do outro.

O cavalo é agressivo com os humanos

Os cavalos apresentam comportamentos agressivos em relação aos humanos por vários motivos que podem ser desconforto, medo, subjugação, provocação, dominação.

O medo pode surgir de maus-tratos, abuso, tratamento severo ou mesmo cegueira à noite.
O cavalo expressa desconforto

A agressão do cavalo surgindo de um desconforto é mais comum e generalizado. É importante aprender a distinguir o desconforto do animal para entender o problema e lidar com ele.

O animal pode ser reprimido por falta de movimento ou socialização. Ele pode sentir desconforto físico e psicológico e reagir agressivamente.

Aqui estão os inconvenientes mais comuns

  • precisam se expressar, se mover, explorar e se socializar e é sempre mantido na caixa
  • não entende o que é pedido a ele
  • dores ao ser montado: tanto com base na postura do cavaleiro quanto com muito exercício físico
  • é reprimido em sua natureza. Um cavalo exuberante que é constantemente insultado pode desenvolver agressividade
  • medo: ele é inseguro e não confia no papel de líder da matilha
  • traumas anteriores, maus-tratos também ligados a certas partes do corpo: por exemplo, a má administração de cavalos, como métodos brutais de selar, fará com que um cavalo morda quando a cilha é apertada. O mesmo vale para a cabeceira da cama. Talvez o cavalo tenha sofrido um trauma na boca e se recuse a ter sua cabeça ou orelhas tocadas para serem atreladas, até mesmo mordidas.

Leia–> As mordidas de cavalo: por que e como intervir

Sinaliza a agressão do cavalo

A linguagem corporal do cavalo é a chave. Por meio da movimentação de algumas partes, como orelhas, lábios e cauda, o animal envia alguns sinais que devem ser interpretados e consequentemente compreender seus estados de espírito. Conforme listado, o cavalo pode se tornar agressivo por várias razões.

Orelhas: quando o cavalo os curva para trás e os pressiona na nuca, é um claro sinal de agressão e nervosismo do animal.

Coda: a cauda indica o estado de espírito do cavalo, quando está alta o cavalo pula e pode ser um sinal de desafio para outro cavalo.

A cauda para baixo entre as pernas e uma atitude submissa ou temerosa são sinais de que o cavalo pode atacar ou até mesmo chutar.

A cauda agitada e torcida agressivamente indica aborrecimento ou nervosismo.

Boca: um cavalo nervoso enrijece os lábios e mantém a boca fechada.

Endurecimento do corpo: quando o cavalo está assustado, ele enrijece os músculos do corpo, faz movimentos bruscos e também altera a respiração, que é mais curta e difícil.

Olhos: pupilas dilatadas indicam medo e agitação

Pescoço tenso, orelhas achatadas e cabeça baixa são uma clara ameaça.

Ligeiramente arredondado para trás: o cavalo se prepara para chutar com um ou dois quartos traseiros

Corrija o cavalo agressivo

Para intervir na agressão do animal, vários elementos devem ser distinguidos. Considere os fatores e causas que tornam o cavalo agressivo, bem como a idade do animal.

Como jovens potros, os cavalos tendem a desafiar as autoridades, portanto o comportamento agressivo pode estar relacionado à “puberdade” do cavalo.

Como primeira regra, evite antropomorfizar o comportamento do animal. Evite reprimir o cavalo com violência ou métodos brutais para assustar. Isso agrava o desconforto do cavalo, aumentando a frustração e tornando-o mais agressivo. Há casos em que o cavalo somatiza essas frustrações e suas próprias agressões até ter problemas gástricos ou desabafar em atividades / vícios substitutos.

Compreendendo a origem da agressão

Em primeiro lugar, ao abordar o cavalo é fundamental identificar o desconforto gerado no animal.

O melhor método para modificar o comportamento agressivo de um cavalo está no contra-condicionamento e na dessensibilização.

  • associe recompensas a ações não agressivas
  • dê mais atenção ao cavalo
  • aliciamento
  • exercitar o cavalo

O objetivo é restabelecer a relação com o cavalo, passando por um padrão natural: alimentação, cuidados com o corpo e reforçando no animal o hábito do contato com a pessoa.

No caso de um garanhão agressivo, a esterilização é recomendada. De acordo com alguns estudos, a agressão é hereditária. A redução dos hormônios também ajuda a diminuir a agressividade do animal.

Conduza o cavalo para o diálogo

Como lidar com um cavalo agressivo:

  • se o cavalo carregar a pessoa:
    coloque-se em uma posição segura e dê uma resposta firme ao animal. Dê um comando firme, como “cale a boca” ou “pare”. Se o animal responder, aja rapidamente se o cavalo parar, inicie um diálogo.
    Não se deixe dominar por sentimentos (medo ou exaltação). Em vez disso, mantenha uma postura firme e também evite possíveis agressões futuras.
  • Na fase de diálogo: deixe o cavalo se expressar de uma forma não agressiva
  • se o cavalo é dominante: evite ser agressivo com o cavalo, não reprima com violência que só pode gerar frustração no animal.