No artigo de hoje vai saber como saber se o mel é verdadeiro, no nosso guia completo.

Se você é um consumidor regular, sabe que é um produto muito apreciado e, portanto, às vezes é bastante caro. A razão é que é composto por minerais, nutrientes e enzimas muito benéficos para a saúde, além de ser um substituto natural do açúcar.

O mel é um alimento rico em propriedades, perfeito para adoçar infusões, bebidas ou para incluir em receitas culinárias. Além disso, é um remédio caseiro ideal para misturar com limão e resolver problemas de garganta.

O mel é um produto delicioso com muitos benefícios para a saúde. Mas você sabia que alguns dos produtos rotulados como mel contêm apenas 1% dele? Explicamos como distinguir o mel puro do mel adulterado.

Como saber se o mel é verdadeiro

Como saber se o mel é verdadeiro
Como saber se o mel é verdadeiro

Apesar disso, existe um grande dilema em saber identificar qual mel é puro ou quimicamente modificado, como saber se o mel é verdadeiro: uma série de métodos para reconhecer um mel verdadeiro.

  • Teste do polegar: coloque uma gota de mel no polegar. Se pingar ou cair para o lado, o mel não é puro. Se permanecer intacto, está.
  • Teste de água: Encha um copo de água e despeje uma colher de mel nele. O mel puro ficará praticamente intacto e ficará imerso no fundo do copo. O mel alterado se dissolverá.
  • Teste da despensa: o mel puro cristaliza com o tempo (e a baixas temperaturas), mas se for alterado continuará a ser mel líquido, por mais tempo que fique na despensa. A exceção é o mel de acácia que é o único que não sofre o processo de cristalização.
  • Teste de fogo: mergulhe um pedaço de algodão em um pouco de mel e coloque-o em contato com uma chama. O mel natural se acende facilmente e a chama queima, enquanto o mel falso não acende devido à umidade que contém.

Como saber se o mel é puro ou adulterado?

Às vezes, o mel puro e adulterado pode parecer o mesmo. No entanto, neste artigo, daremos os truques perfeitos para que você possa conhecer as diferenças entre os dois méis:

– Vire o pote de mel

Se você quiser verificar se um mel é puro ou adulterado, quando for comprá-lo, vire o pote de mel de cabeça para baixo e se a bolha que se forma for lenta, significa que é mel puro. Pelo contrário, se for rápido, é mel com alterações.

– O natural cristaliza

Após tê-lo na despensa, o mel fica muito duro a ponto de cristalizar, o que significa que o mel é puro. Se permanecer uma consistência xaroposa, o mel é falso ou adulterado.

– teste de microondas

Coloque o mel em um prato e leve ao micro-ondas. Se endurecer, significa que o mel é de qualidade. Se permanecer líquido, o mel é pasteurizado.

BENEFÍCIOS DO MEL

Antes de continuar descobrindo as diferenças entre o mel puro e o mel processado, vamos ver quais são os benefícios que o mel pode trazer para o corpo:

– É rico em antioxidantes

O mel escuro é melhor. Isso porque concentra uma quantidade maior de elementos antioxidantes. Entre eles estão: Flavonóides, fenóis, enzimas e ácidos orgânicos similares.

Painel de abelhas.  (foto: Editores Alfa)Painel de abelhas. (foto: Editores Alfa)

Os cientistas acreditam que a mistura desses elementos gera os antioxidantes do mel, o que pode reduzir o risco de ataques cardíacos, derrames e até alguns tipos de câncer.

– É melhor que o açúcar para diabéticos

Há evidências conflitantes sobre o uso de mel para diabéticos. Embora possa ajudar em alguns aspectos, como reduzir o colesterol ruim ou os triglicerídeos, o mel ainda contém glicose suficiente para aumentar o açúcar no sangue.

Açúcar e mel.  (foto: The NY Journal)Açúcar e mel. (foto: The NY Journal)

Apesar disso, o mel ainda é “menos ruim” que o açúcar, e seu uso, no consumo regular, é mais recomendado para diabéticos.

– Pode diminuir os triglicerídeos

Os triglicerídeos são nosso inimigo interno: eles vêm do açúcar e da gordura que ingerimos (que muitos adoram comer).

E podem causar problemas que vão desde riscos cardíacos até o possível desenvolvimento de diabetes tipo 2, sendo uma feliz exceção à regra de triglicerídeos.

Triglicerídeos.  (Foto: Confeitaria Niece de las Tejas)Triglicerídeos. (Foto: Confeitaria Niece de las Tejas)

Alguns estudos mostraram que consumir mel em vez de açúcar pode diminuir os níveis de triglicerídeos. 

Estudos otimistas mostram que essa diferença representa um risco até 1119% menor de triglicerídeos em quem consome mel como substituto.

– Seus antioxidantes reduzem a pressão arterial

Este é outro efeito dos antioxidantes do mel no sangue. Vários estudos em ratos e humanos mostraram que o mel reduz a pressão arterial.

Medição da pressão arterial.  (foto: Melhor com Saúde)Medição da pressão arterial. (foto: Melhor com Saúde)

No entanto, os resultados a este respeito são bastante modestos e outras fontes de antioxidantes, assim como o exercício físico regular, não devem ser negligenciados.

– Reduz o colesterol ruim

O LDL, ou colesterol “ruim”, é um grande risco para o sistema cardíaco, então o mel pode ser uma defesa útil.

 Vários estudos mostraram resultados significativos nesse sentido, garantindo que o mel não apenas reduz o colesterol ruim, mas também aumenta o colesterol HDL ou colesterol bom.

Colesterol e mel.  (foto: Melhor com Saúde)Colesterol e mel. (foto: Melhor com Saúde)

Previne a arteriosclerose, um fator de risco para derrames e ataques cardíacos.