Doenças por deficiência de vitaminas: quais e como evitá-las

Uma dieta desequilibrada pode levar a doenças por deficiência de vitaminas. Estes últimos são micronutrientes essenciais encontrados em uma ampla variedade de alimentos que devem ser consumidos regularmente, embora em pequenas quantidades.

Os nutrientes encontrados em vários alimentos são essenciais para uma boa saúde. Em particular, um a deficiência de vitaminas favorece o aparecimento de várias patologias.

Vitaminas são substâncias orgânicas que atuam em conjunto com enzimas e que participam dos processos metabólicos do organismo. Embora sejam considerados micronutrientes, são elementos essenciais da dieta alimentar.

No caso de deficiência de vitaminas a médio ou longo prazo, aumentam as chances de desenvolver certas doenças. Quais são eles? Nas linhas a seguir, apresentamos os mais comuns.

Perturbações visuais e vitamina A

A deficiência de vitamina A está associada a vários distúrbios da visão. Em particular, causa olhos secos ou xeroftalmia, que com o tempo pode levar à cegueira noturna.

Para prevenir essas complicações, deve-se consumir alimentos que contenham precursores dessa vitamina, como os carotenóides. Podemos obtê-los em:

  • Ovos
  • Café com leite
  • Peixe como salmão
  • Fígado
  • Vegetais com folhas verdes escuras
  • Manga
  • Mamão
  • Tomate
  • Cenoura
  • Abóbora
  • Mais

A quantidade diária recomendada varia de acordo com a idade e sexo. De acordo com o National Institutes of Health, os valores para adultos são 900 microgramas para homens e 700 para mulheres.

Alimentos que contêm vitamina A.
A falta de vitamina A aumenta o risco de sofrer de problemas de visão.

Doenças por deficiência de vitamina: anemia e vitamina B12

A anemia perniciosa é causada por uma deficiência de vitamina B12, ou cobalamina. Esta substância contém cobalto, um mineral necessário para a produção de glóbulos vermelhos.

Publicidade

O ser humano obtém a ingestão necessária desta vitamina através do consumo de alimentos de origem animal. Todas as pessoas que seguem uma dieta vegana ou vegetariana podem, portanto, sofrer deste problema.

De acordo com entidades como o National Institutes of Health (NIH), a quantidade recomendada de cobalamina para adultos de ambos os sexos é de 2,4 microgramas por dia. Essa necessidade pode ser satisfeita por meio de suplementos, principalmente para quem baseia sua dieta apenas em produtos de origem vegetal.

Aconselhamos também que leia: Espirulina: um alimento surpreendente

Lesões de pele e deficiência de vitamina C

A deficiência de vitamina C pode causar sangramento gengival e cicatrização lenta de feridas. Muitos anos atrás, a ciência descobriu que a longo prazo esta deficiência causa uma condição chamada escorbuto.

Além dos sintomas já mencionados, essa condição causa fadiga, dores nas articulações e lesões na pele. A FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura) lembra que desde a descoberta da importância desse nutriente, a prevalência do escorbuto é bastante rara.

Alguns alimentos que contêm vitamina C são frutas cítricas, kiwis e pimentões. No entanto, devemos considerar que parte desta substância é perdida após o cozimento ou exposição a altas temperaturas. Consumir suplementos é uma alternativa viável.

Laranjas e limões são fontes de vitamina C.
A deficiência de vitamina C no corpo está associada à má cicatrização de feridas na pele. Esse nutriente está presente em alimentos como as frutas cítricas.

Distúrbios neurológicos e ácido fólico

Numerosos estudos sugerem que a quantidade certa de ácido fólico (vitamina B9) em mulheres grávidas previne distúrbios neurológicos no feto. Mas parece oferecer outros benefícios também, incluindo a prevenção de doenças cardíacas congênitas e fenda palatina.

As principais fontes dietéticas de ácido fólico são vegetais de folhas verdes, fígado e rim. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, mulheres grávidas devem tomar 400 microgramas de ácido fólico por dia até a décima segunda semana de gestação.

Você também pode estar interessado em ler: Ácido fólico na gravidez: 3 dicas para tomá-lo

Fragilidade óssea devido à deficiência de vitamina D

A vitamina D é essencial para a saúde óssea porque garante a absorção adequada do cálcio. A ingestão insuficiente dessa substância causa raquitismo e osteomalácia.

Em humanos é formado pela exposição da pele à luz solar. Também é possível obtê-lo de alimentos de origem animal, como ovos, leite e carne, mesmo que apenas em um percentual igual a 10%.

Quando a dieta é equilibrada, é difícil ter uma deficiência de vitaminas. Em alguns casos, porém, é essencial aumentar os cuidados, por exemplo, durante a gravidez ou quando sofre de certas doenças.

Nestes casos, é preciso adaptar a dieta porque a falta desses micronutrientes pode levar a diversos problemas de saúde. Para tanto, é bom consultar um nutricionista e avaliar a possibilidade de tomar suplementos.