Mulheres que só dão à luz bebês de um sexo. A genética desempenha algum papel?

Às vezes, teremos conhecido mulheres que só tiveram meninas ou meninos, mesmo quando queriam ter o casal. E a verdade é que nada podemos fazer para determinar o sexo do bebê: dietas, posturas, lua, mitos e lendas, a última palavra será ditada pelo espermatozóide mais rápido, por causa do cromossomo que carrega aquele que consegue fertilizar o óvulo o sexo do novo membro da família dependerá.

Por que um sexo é prevalente em algumas famílias?

Ao longo do tempo, estudos mostraram que existem alguns casos em que famílias são portadoras de “síndromes letais para um determinado sexo”; em geral, é inclinado ao sexo masculino e este por sua vez pode ou não ser transmitido entre outros membros da família. Nesses casos excepcionais, o embrião é afetado e não sobrevive, reduzindo assim as chances de ter filhos desse sexo.

Outra pesquisa relacionou o fato de haver apenas meninas ou meninos com anormalidades no esperma, pois concluíram que estas podem influenciar “Em detrimento do esperma com o cromossomo X e vice-versa.” Ou seja, alguns casais só terão meninos ou meninas.

No entanto, até agora não há base científica para apoiar essas teorias, então o acaso ainda tem a última palavra; ou seja, o esperma que consegue fertilizar primeiro.

A genética influencia quando se tem um bebê de determinado sexo?

  • O sexo do bebê é determinado no momento da concepção.
  • Quando ela é menina, o par de cromossomos é idêntico; XX. Quando falamos sobre o sexo masculino, metade dos espermatozoides carrega X e a outra metade Y.
  • Se o espermatozóide carrega o cromossomo Y, ele ativará imediatamente o processo pelo qual o desenvolvimento dos testículos começa.
  • Alguns estudos indicam a possibilidade de ter o bebê com o sexo desejado (alimentação, postura, dia da concepção, idade …), porém, não há embasamento científico para sustentá-lo.
  • Especialistas indicam que a genética não influencia o sexo do bebê.

Tópicos: genética, meninas, crianças, maternidade, gênero do bebê