Filhos herança do senhor

Ser herdeiro de Deus não se limita à estreita ideia material que o concebe como bens da fortuna e nada mais.A noção de “herança” é central para a Bíblia, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, em relação ao Antigo, é compreensível que dê grande importância à hereditariedade.

Se levarmos em conta que o judaísmo é uma religião nacional em que o favor de Deus é obtido basicamente pelo fato de ter nascido no seio da nação, então, da bênção de Deus sobre seu povo exclusivamente.Assim, os israelitas viam sua fé e suas crenças religiosas no quadro da aliança estabelecida por Deus com eles.

Como uma herança ou tradição inalienável compartilhada e herdada por toda a nação , que devia ser defendida a todo custo, usando-a como recurso para nutrir sua identidade e seu sentido de pertença à comunidade e não como uma posse individual resultante de uma experiência pessoal e direta com o próprio Deus.

Filhos herança do senhor

Filhos herança do senhor
Filhos herança do senhor

Sabemos que quando os pais terrenos recebem os filhos do Pai Celestial em seu lar, eles assumem a responsabilidade de amá-los, valorizá-los, ensiná-los e guiá-los para a vida eterna.

Aqui apresentamos versículo que diz que Filhos herança do senhor, acompanha mais para abaixo neste artigo.

Salmos 127:3 Reina-Valera 1960 (RVR1960) 3 Eis que os filhos são herança do Senhor; Coisa de estimar o fruto do ventre.

Os filhos são uma benção de Deus, Ele é o criador da vida e quem dá vida ao nosso ventre. Através dos filhos de Adão e Eva, a terra foi povoada. Deus prometeu filhos a Abraão: “E, levando-o para fora, disse-lhe: Olha agora para os céus e conta as estrelas, se as podes contar. 

E ele lhe disse: ” Assim será a tua descendência” (Gênesis 15:5).. De sua descendência nasceu Jesus Cristo e toda pessoa que nasceu de novo; somos parte da promessa dada a Abraão. Deus prometeu filhos, abençoou com eles e continua abençoando através deles. 

No Antigo Testamento, ter filhos era considerado uma grande bênção e Deus era reconhecido como seu doador (Gn 30:2,18; 33:5; 48:9; Deut. 7:13). No antigo Israel, a importância dos filhos pode ser vista na lei do casamento levirato, que assegurava a continuidade da linhagem familiar (Dt. 25:5-10; Sl. 127:3-5). 

Eles também foram o instrumento pelo qual as antigas tradições e a Palavra de Deus foram transmitidas (Ex. 13:8-9,14; Deut. 4:9; 6:7). Por outro lado, no Novo Testamento, Jesus afirma a importância das crianças e sua relevância para Ele (Mateus 18:2-14; 19:13-14). 

Os filhos são uma benção de Deus, pelas tristezas e pelas alegrias que nos trazem. Junto com eles sentimos amor, alegria e companhia. 

Eles são parte do nosso próximo e nós os amamos como a nós mesmos (“Ele respondeu e disse: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento; próximo como a ti mesmo” (Lucas 10:27). 

Com eles experimentamos um amor desinteressado e colocamos em ação todos os frutos do Espírito (“Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio; contra esses há nenhuma lei” Gálatas 5:22-23). 

Por obediência a Deus, nós lhes ensinamos a Palavra de Deus e preparamos seus corações para serem seguidores de Cristo (Dt 6:5-9, Pv 22:6). Por outro lado, através do fruto do nosso ventre.

Deus nos prova e crescemos na graça (“Meus irmãos, tenham grande alegria quando passarem por várias provações, sabendo que a prova de sua fé produz paciência,sem falta de nada” (Tg 1: 2-4).

Em tempos difíceis, eles nos aproximam de Deus atravésa oração e a busca constante por Ele. Eles nos mostram a relação entre o Pai (Deus) e o Filho (Jesus Cristo). Assim como Deus nos perdoa por meio de Jesus Cristo, nós perdoamos nossos filhos sempre que eles falham conosco. 

Com eles, sentimos dor, mas também vemos a mão de Deus trabalhando em todas as situações. Demos graças a Deus por nossos filhos e pela obra que ele faz em nós por meio deles (“Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus para convosco em Cristo Jesus” 1 Tessalonicenses 5:18).

A gloriosa herança entre os santos

No Novo Testamento a herança adquire ainda mais importância , a julgar pelas palavras do apóstolo Paulo:    (Efésios 1:18-19).

Já no livro dos Atos dos Apóstolos ele se referiu a ela, precisamente, em sua despedida da igreja de Éfeso, dizendo:  “Agora eu te encomendo a Deus e à mensagem da sua graça, uma mensagem que tem poder para edifique-os e dê-lhes herança entre todos os que são santificados”  (Atos 20:32); 

Indicando ainda o propósito para o qual ele havia sido escolhido pelo próprio Jesus Cristo no caminho de Damasco nestes termos exatos: 

“para que você possa abrir os olhos deles e os converter das trevas para a luz, e do poder de Satanás para Deus, para para que pela fé em mim recebam o perdão dos pecados e a herança entre os santificados”  (Atos 26:18).