Gluteoplastia 500ml antes e depois

0
68
Before and after body surgery photos

A prótese glútea não melhora a flacidez da pele, nestes casos é necessário o “‘lifting’ glúteo” explicado na parte de cirurgias pós-bariátricas – abdominoplastia circunferencial.

A gluteoplastia é um procedimento estético cujo objetivo é aumentar, corrigir deformidades causadas por acidentes, e/ou remodelar a região dos glúteos, proporcionando um melhor contorno corporal.

A cirurgia pode ser feita de duas maneiras: com implante de silicone ou enxerto de gordura do próprio paciente (lipoenxertia). A escolha da técnica vai depender do biotipo do paciente e do resultado almejado.

Gluteoplastia 500ml antes e depois

Before and after body surgery photos

A cirurgia de prótese glútea é indicada para pessoas com mais de 18 anos que tenham os glúteos desproporcionais, pequenos, com aspecto achatado e que queiram aumentar, modelar e dar projeção. Gluteoplastia 500ml antes e depois, veja a seguir:

Gluteoplastia 500ml antes e depois
Gluteoplastia 500ml antes e depois

No caso do preenchimento com lipoenxertia, o paciente precisa ter excesso de gordura em outra parte do corpo para que possa ser lipoaspirada e, depois, enxertada na região glútea.

Pessoas com problemas na região lombar, cardíacos e doenças autoimunes não são aconselhadas a realizar esta cirurgia. Gestantes e lactantes, também fazem parte do grupo de contraindicação.

QUAL O MELHOR? IMPLANTE DE SILICONE OU ENXERTO DE GORDURA?

Quem escolherá a melhor opção é o cirurgião plástico e a paciente numa conversa franca.

A lipoenxertia usa gordura do próprio paciente para preencher, dar volume e projeção ao bumbum, enquanto no implante de silicone é inserida uma prótese para elevar a área e atingir o objetivo desejado.

No entanto, para a lipoenxertia é preciso que o paciente tenha uma boa quantidade de gordura para lipoaspirar.

Isso porque, para ter uma quantidade satisfatória de gordura capaz de remodelar e dar um real aumento nos glúteos, é imprescindível uma quantidade grande de gordura.

Para obter cerca de 500 ml de material para o enxerto, o cirurgião precisa aspirar entre 1 e 1,5 litros de gordura. É importante lembrar que, em média, 30% da quantidade inserida será absorvida pelo organismo, outro motivo para enxertar um volume maior.

COMO É O PRÉ-OPERATÓRIO?

Durante a consulta, o médico fará uma avaliação física e solicitará exames laboratoriais e cardíacos.

É recomendado que o paciente pare de fumar e de ingerir bebidas alcoólicas com 10 dias de antecedência, assim como a ingestão de alguns medicamentos, como inibidores de apetite, diuréticos, antidepressivos, anticoncepcionais orais e ácido acetil salicílico.

Também não se deve depilar a região que será operada e a preparação psicológica e estrutural é fundamental, já que, após o procedimento, é necessário repouso.

QUAL O TIPO DE ANESTESIA USADA?

Anestesia pode ser peridural ou anestesia geral. É na consulta pré-anestésica que o médico anestesista irá decidir em conjunto com o paciente.

COMO É A CIRURGIA?

Se a escolha for o implante de silicone, após a anestesia, o médico faz uma incisão no sulco interglúteo, entre as duas nádegas e, através dele, é feito um preparo no músculo glúteo maior para então serem colocadas as próteses direita e esquerda.

Depois, o cirurgião posiciona o silicone no interior do músculo glúteo maior (intramuscular) e é feito o fechamento dos tecidos  e sutura da pele. Nesta cirurgia utiliza-se dreno.

Na lipoenxertia, a gordura em excesso no abdômen, pernas, costas ou flancos é extraída por meio de uma lipoaspiração, tratada e enxertada, através de microcânulas na região do bumbum. Neste caso, são realizados dois procedimentos na mesma cirurgia.

QUAL O TEMPO MÉDIO DO PROCEDIMENTO?

O tempo da cirurgia costuma variar entre 2 e 3 horas.

E A CICATRIZ?

A cicatriz depende da técnica utilizada. No caso da lipoenxertia, a incisão é bem pequena, na região dorsal, na marca da calcinha. Já no implante de silicone, o cirurgião faz a incisão, de 5 a 7 centímetros, nas nádegas, no sulco interglúteo, num local de pouca visibilidade.

QUAL O TIPO DE SILICONE USADO?

As próteses glúteas de silicone são mais firmes e mais resistentes que as dos seios, pois são revestidas por múltiplas camadas.

A parte interior do implante é constituída de gel de silicone de alta coesão e o material externo pode apresentar texturas lisas ou rugosas. Como são maleáveis, se adaptam bem ao corpo, deixando um aspecto bem natural.

Existem dois tipos de formato: redondo e oval. As próteses redondas têm tamanhos que variam de 200 a 360 ml, e as ovais variam de 200 a 500 ml.

Para escolher o tamanho do implante, o cirurgião plástico precisa avaliar detalhadamente a anatomia da paciente, tamanho dos ossos do quadril (osso ilíaco), volume e tamanho do músculo glúteo, além de ouvir o desejo da paciente e adequar todos esses detalhes.

O tamanho da prótese glútea depende diretamente dessas proporções anatômicas.

O formato pode variar de acordo com a anatomia de cada paciente, permitindo um resultado personalizado. A prótese redonda é recomendada para pacientes que desejam aumentar mais a região superior e posterior, dando um efeito mais empinado ao bumbum.

Já a prótese anatômica (oval) é indicada para pacientes que querem aumentar o bumbum por inteiro, inclusive nas laterais.

Para suavizar ou enfatizar a curvatura do bumbum, o profissional vai combinar a forma, o tamanho e a posição do implante para ajustar o volume ou a distância da projeção em uma área específica, e então, harmonizá-lo com o resto do corpo.

COMO É O PÓS-OPERATÓRIO?

Embora a técnica do implante seja um pouco mais trabalhosa, pois requer cuidados específicos para evitar o deslocamento da prótese, a diferença no pós-operatório é apenas na hora de sentar. Ambas as técnicas necessitam entre 15 a 20 dias de repouso.

O paciente deve permanecer de barriga para baixo nas primeiras 48 horas e dormir de bruços por 10 dias.

Existe possibilidade de ficar de barriga para cima, mas utilizando almofadas especiais. Também é utilizada uma cinta modeladora nos primeiros dois a três meses.

É importante manter a região bem limpa e higienizada com sabão neutro. A retomada gradual de exercícios físicos pode ocorrer após quatro semanas, com caminhadas leves. A paciente não pode se agachar nos primeiros 30 dias.

Maiores esforços e levantamento de peso, assim como a exposição ao sol, são liberados a partir de 3 meses.

LIPOENXERTIA: nessa técnica, a paciente pode sentar logo após a cirurgia, porém utilizando almofadas embaixo dos glúteos. A drenagem linfática não é aconselhada, já que ela facilita a reabsorção da gordura.

IMPLANTE DE SILICONE: A recuperação pode ser um pouco mais desconfortável, pois o músculo do glúteo é aberto e tem suas fibras distendidas.

O cirurgião irá receitar analgésicos para aliviar a dor e os incômodos. É recomendado que a paciente evite sentar por um período de 2 a 4 semanas e utilize algumas almofadas para não deixar o peso do corpo na região dos glúteos.

COMO É O RESULTADO?

LIPOENXERTIA: nesse procedimento, os resultados começam a ser vistos após a segunda semana, quando o edema começa a diminuir. No entanto, o resultado final aparece entre 6 e 8 meses.

IMPLANTE DE SILICONE: logo depois da cirurgia, já é possível notar uma mudança no volume dos glúteos. Após o segundo mês, os inchaços começam a desaparecer, sendo possível notar 80% da mudança.

Porém, os resultados são considerados definitivos após quatro a seis meses, quando o edema já desapareceu e o glúteo está adaptado ao novo formato.

Às DUAS TÉCNICAS PODEM SER ASSOCIADAS?

Sim, quando existem depressões volumosas, com grande retração de pele. Casos com reincidência na perda de gordura enxertada também podem associar às duas técnicas.

O QUE MAIS É PRECISO SABER SOBRE O PROCEDIMENTO?

– Na gluteoplastia com implante, drenos podem ser utilizados por 2 a 5 dias para evitar o acúmulo de seroma (acúmulo de líquido) ao redor da prótese.

– As próteses glúteas não saem do lugar e dificilmente se rompem. Assim, a paciente não precisa se preocupar em casos de traumas (mesmo que severos) e pressurização. Pode-se voar e mergulhar em grandes profundidades sem medo.

– Após o implante, a pessoa não poderá mais tomar injeção ou vacina no bumbum. A agulha não estoura a prótese, mas pode causar micro orifício, além da medicação ser injetada dentro dela. As injeções e vacinas podem ser feitas em outras áreas musculares.

– A rejeição às próteses é rara, e as trocas só são necessárias em casos de alteração de forma, infecção ou rupturas.

– Na prótese de bumbum, o cirurgião tem mais liberdade de posicionar o silicone dentro do músculo, permitindo escolher locais estratégicos e adequá-la às necessidades de cada pessoa.