English English French French Italian Italian Portuguese Portuguese Spanish Spanish

O que fazer quando acaba o desejo no casamento

No artigo de hoje vais ficar a saber O que fazer quando acaba o desejo no casamento, no nosso guia completo.

A alimentação e a reprodução são as duas funções básicas que garantem que os genes herdados de nossos ancestrais sejam transmitidos às gerações seguintes e, assim, “a espécie” sobreviva.

Relacionamentos e casamentos passam por diferentes estágios e ciclos nos quais a confiança ou a comunicação variam. O sexo também é influenciado, tanto em sua qualidade quanto em sua quantidade.

A falta de apetite ou desejo sexual atinge  homens e mulheres de todas as idades  e se deve tanto a fatores externos quanto internos ao casal.

O que fazer quando acaba o desejo no casamento

O que fazer quando acaba o desejo no casamento
O que fazer quando acaba o desejo no casamento

O apetite sexual determina a proximidade entre os dois membros e pode ser diminuído em algum momento. Não significa que o amor acabou ou que o outro não o excita, é simplesmente uma fase transitória que pode acabar se você souber encontrar o caminho.

Reacenda a magia

Tanto o estresse quanto a rotina diária ou problemas externos podem gerar falta de desejo nas relações sexuais. Isso faz com que a frequência diminua e os encontros existentes tenham menos intensidade.

A passagem do tempo e o fim da primeira fase da paixão ou paixão também afetam o sexo. Uma fase normal que pode ser vivenciada com desconforto entre os membros, principalmente nos momentos em que é unilateral.

Dada a falta de desejo do casal, devemos primeiro nos  perguntar se é algo específico  ou se é devido a problemas por trás disso, onde os relacionamentos são apenas o sintoma de que algo está errado. Descartado isso é quando temos que normalizar a situação e encontrar uma maneira de reacender a magia.

Veja abaixo O que fazer quando acaba o desejo no casamento:

1. Comunicação

O primeiro passo é falar sobre isso. Devemos deixar claro se a causa é rotineira ou se as relações existentes até hoje podem ter falhado. Saber o que estimula o outro, expressar nossas necessidades ou sentir-se confiante para falar sobre isso faz parte do estabelecimento de uma boa comunicação fora da cama.

2. Mitos

O sexo arrastou certos mitos por gerações, como o de que o importante é o orgasmo do homem ou que as mulheres têm que fingir.

Esses mitos derivam da falta de educação sexual e da indústria pornográfica. Saber disso, assistir a palestras ou conversar com o outro nos ajudará a eliminá-los e a ter relacionamentos mais gratificantes que gerem confiança e segurança.

3. Espaço

Na ausência de desejo sexual, paradoxalmente, é melhor não praticá-lo. Os relacionamentos devem se limitar aos momentos em que ambos tenham vontade, em que um não o faça para agradar o outro. São experiências em que ambos os membros têm que sentir vontade, sem forçar a situação.

4. Crie a atmosfera

O sexo nos primeiros momentos acontece quase em qualquer lugar, pois o desejo nos leva a ele. Com o passar do tempo, tentamos nos manter e acabamos tendo relacionamentos nos quais ambos nos comprometemos a acompanhar. Isso cria encontros enfadonhos e monótonos, onde a ausência de prazer alimentará a falta de desejo.

Para combatê-lo, devemos estar cientes de que o relacionamento evoluiu e também a frequência e os tempos. A partir da comunicação e de fantasias anteriores, buscaremos momentos que possam despertar o desejo do outro. Certos lugares ou uma encenação são perfeitos para esta ocasião.

5. Tolerância à frustração

Os problemas que arrastamos durante meses não se resolvem da noite para o dia ou em linha reta. Significa falhar mais vezes, retroceder momentaneamente e ficar frustrado. Estar cientes disso nos permitirá sentir as emoções negativas correspondentes, mas não nos ancorar nelas.