O plasma rico em plaquetas é uma porção do sangue que pode ser filtrado para ser usado como forma de preenchimento contra as rugas.

Esse tratamento com plasma no rosto é indicado para rugas profundas ou não, mas dura apenas 3 meses, porque logo é absorvido pelo corpo.

Esse preenchimento é bem tolerado e não provoca efeitos colaterais, custando entre 500 e 1000 reais. Essa técnica também pode ser utilizada para tratar cicatrizes de acne, olheiras profundas e para combater a calvície, quando aplicado no couro cabeludo.

Este tratamento tem se mostrado seguro e sem contra-indicações.

Tratamento com plasma no rosto antes e depois

Tratamento com plasma no rosto antes e depois
Tratamento com plasma no rosto antes e depois

O tratamento plasma sanguíneo combate as rugas porque é rico em fatores de crescimento que estimulam a produção de novas células na região onde é aplicado.

E também leva ao surgimento de novas fibras de colágeno que dão sustentação à pele naturalmente.

O resultado é uma pele mais jovem e sem marcas, sendo especialmente indicado no combate às rugas do rosto e do pescoço.

Como é feito o tratamento

O tratamento com plasma rico em plaquetas é feito no consultório do dermatologista, seguindo os seguintes passos:

  • O médico retira uma seringa cheia de sangue da pessoa, assim como acontece num exame de sangue normal;
  • Coloca este sangue num equipamento específico, onde é centrifugado e separado o plasma dos outros componentes do sangue;
  • A seguir esse plasma rico em plaquetas é aplicado diretamente nas rugas, através de uma injeção.

Todo procedimento dura cerca de 20 a 30 minutos, sendo uma ótima alternativa para promover o rejuvenescimento facial, oferecendo assim uma pele renovada, hidratada e com boa elasticidade.

O preenchimento cutâneo com plasma rico em plaquetas serve para o tratamento das rugas, para remoção de cicatrizes de acne e olheiras, seguindo a mesma técnica de aplicação.

Quanto tempo dura 

O efeito de cada aplicação dura cerca de 3 meses e o resultado pode começar a ser visto logo no mesmo dia.

No entanto, o número de aplicações de plasma que cada pessoa precisa deve ser indicado pelo dermatologista porque depende da quantidade de rugas presentes e de sua profundidade.

Mas normalmente o tratamento é feito com 1 aplicação por mês, durante, pelo menos, 3 meses.

O plasma é rapidamente absorvido pelo corpo, mas as novas células irão permanecer por mais tempo, mas estas também irão perder suas funções, porque o corpo continuará envelhecendo, naturalmente.

Cuidados após a aplicação do plasma

Os cuidados após a aplicação do plasma são evitar a exposição ao sol, o uso de saunas, a prática de exercício físicos, massagens no rosto e limpezas de pele durante os 7 dias seguintes ao tratamento.

Após a aplicação do plasma no rosto podem surgir dor e vermelhidão passageiras, inchaço, manchas roxas e inflamação na pele, mas que normalmente somem após um ou dois dias depois da aplicação.

Após a redução do inchaço, pode-se aplicar gelo no local, e é permitido usar cremes e maquiagem no mesmo dia da aplicação.

Jato de plasma: diferentes efeitos de acordo com a intensidade

Mas qual é o objetivo dessa descarga de plasma sobre a pele?

Dependendo da intensidade de energia depositada, podem ser alcançados diferentes efeitos sobre os tecidos.

Quando ela é baixa, como em aplicações de varredura, apresenta atividade séptica interessante, podendo ser indicada para tratamentos de acne.

Com o aumento do depósito de energia, há resposta inflamatória que ativa neocolagênese, indicado para tratamentos de flacidez e rugas, bom para rejuvenescimento.

As membranas celulares presentes na nossa pele possuem canais que permitem a passagem de água e nutrientes.

Com o processo natural de envelhecimento, ocorre um fechamento desses canais e, consequentemente, a falta de troca de íons sódio e potássio e diminuição da passagem dos nutrientes e da água.

Ao realizar a descarga de plasma sobre a região, fazemos uma abertura desses canais através da despolarização das membranas.

Assim a água, nutrientes e íons podem passar novamente através da membrana celular, aumentando a hidratação, deixando a pele mais firme e atenuando rugas e linhas de expressão.

Já em altas cargas de depósitos pontuais da energia, o procedimento se torna ablativo e pode ser utilizado para tratamentos de manchas, despigmentação.

(no caso de micropigmentações como a de sobrancelhas, por exemplo), até o nível de carbonização de algumas formações cutâneas como nevos, xantelasmas e até mesmo a chamada blefaropastia não cirúrgica.